TV GLOBO e as ferrovias. Veja o documentário que conta a história das ferrovias no Brasil

Veja os vídeos clicando nas datas:

Dia 12/11/2012

DIA 13/11/2012

DIA 14/11/2012

E MAIS:

DIA 21/11/2012 – ¨SEMINARIO DE TRENS DE PASSAGEIROS – UMA NECESSIDADE QUE SE IMPÕE¨ A SER REALIZADO PELA ANTT, EM BRASILIA.

Veja a programação


Ivan Lins e Prof. Victor.

Queridos amigos, fans de trem.

Hoje perco um grande amigo, um Victor (não é o Martins não), mineiro, engenheiro ferroviarista, defensor ferrenho da volta dos trens aos trilhos brasileiros, de onde nunca deverial ter saído. Victor José Ferreira, marido doce e maravilhoso, pai doce e generoso, um mineiro maravilhoso, patriota, nacionalista, humanista.

Pois é, gente, “vão-se os heróis, ficam os caracóis”, dizia Ed Maroccas, ou “vão-se os heróis e ficamos em maus lençois”, dizia Vanzinho de Terê, o filósofo GG.

Como sabemos, os políticos brasileiros, na sua mediocridade histórica, desmancharam nossa rede ferroviária, no país onde ela mais faz sentido no hemisfério, Brasil, para dar lugar às rodovias, onde a “dentadura de Hachake”, funciona mais sorridente, beneficiando empreiteiras, máfias de ônibus, industrias automobilísticas, industrias de autopeças, industrias de pneus e outras mais, encarecendo fretes, matando milhões de pessoas a cada década, encarecendo e com o tempo, congestionando o nosso ir e vir, stressando motoristas, aumentando a grosseria das pessoas, a intolerância, alimentando a violência incubada em cada cidadão, aumentando os gastos com saúde, previdência, segurança e muito, muito mais coisas. Até hoje não se ouviu nenhuma ‘mea-culpa’ dessas figuras que, através de nossos votos, pensam que são donos do “bel-fazer” neste país.

Ora, ora, vários ferroviaristas deste país foram despedidos, perderam seus empregos e seu sentido de vida. Foram e continuam menosprezados pela cúpula do poder público, que, mesmo apontando para alguma mudança, ainda desdenham de uma tomada mais firme e moderna deste caminho de transporte.

As máfias concorrentes aliciam, com facilidade bom contingente de engravatados do voto. As cancões mineiras das últimas 4,5 décadas são bonitas, mas tristes que só elas, pois Minas, que era um estado precursor dos trilhos, foi violentamente arrasado pela quadrilha rodoviarista. E nosso Victor chorou muito com isso. Choraram Milton Nascimento, Fernando Brant, Marcio Borges, Murilo Antunes, Toninho Horta e tantos músicos, compositores e poetas mineiros, que através de sua arte denunciaram o massacre, mas nem foram ouvidos por quem deveria ouvir muito bem, Surdos municipais, estaduais e federais. E choraram muitos outros brasileiros.

Hoje se fala em novas ferrovias, mas se fala tb no preço delas. Neste aspecto, os movimentos ferroviaristas brasileiros faz muito tempo que discutem saídas, que com o passar do tempo, se tornam mais difíceis e viram justificativas para que a corja rodoviarista se mantenha por cima da “carne seca”.

Na frente destes movimentos ferroviaristas, vinha sempre o Prof. Victor, com sua voz calma, grave e sábia. Esse sujeito, mesmo com essas características, fez foi barulho. Muito barulho. Mineiro bom é assim. Parece quieto, mas comanda tempestades, no bom sentido, claro. Muita gente se achegou aos movimentos. O assunto veio ganhando força e, se os brasileiros realmente quiserem (largar seus carros nas cidades, não se estressarem nas estradas, não correrem tantos perigos de vida por desatenção propria ou de outros, conseguirem ter horários mais cumpridos, poder viver fora dos grandes centros mas trabalharem neles, etc, etc), essa tímida política ferroviarista que agora começa a se desenhar nos gabinetes públicos, pode ser transformada num mutirão nacional, onde os trilhos possam voltar a devolver aos brasileiros mais paz, tranquilidade, liberdade, pontualidade, prazer, saúde e econômia.

Pensem nisso, cidadania é pensar e, se der, fazer!

Que os trilhos do céu recebam o Victor no seu trem encantado!

Alea jacta est,

Ivan lins


Missa de mês do Prof. Victor José Ferreira.

No dia 24.11.2012, às 11:00 horas, no Instituto Metodista Bennett, localizado na Rua Marquês de Abrantes, nº 55., no Flamengo, telefone (21) 3509-1000, será realizado um culto religioso pela passagem de um mês do falecimento do Prof. Victor José Ferreira.


Ao nosso Professor Victor a sempre lembrada Domingueira Poética.

Domingueira Poética
30 / setembro / 2012

Querid@s Amig@s,

Estou enfrentando um sério problema de saúde: câncer no pâncreas, já com algum reflexo no figado.
No inicio desta semana, outro probleminha: uma trombose na perna direita, que me colocou no CTI durante 2 dias.
Nessa próxima 2a. ou 3a. feira, estarei novamente internado para a coleta de material para a biópsia.
Estou bem, com o total apoio da Celi, da Erika, do Victor Claudio e do Leonardo, da Cibele (cunhada), da Emylucy (concunhada, geriatra) e demais parentes e amigos. O problema já está entregue a Deus, que saberá cuidar de mim.

Por tudo isso, decidi compartilhar com Vocês, nesta Domingueira, mais um dos meus raros poeminhas, feito há uns 25 anos atrás. Ei-lo:

P A Z

Eu sinto paz, Senhor,
A cada vez que contemplo
A harmonia do universo que criaste.
Sinto-a na infinitude do ceu estrelado,
Na solidão da mais distante galáxia,
No permanente refluir das ondas
De um mar que parece sem fim.

Eu sinto paz, Senhor,
No olhar terno da criança,
Na mulher que embala o filho,
No velho que visita seu passado,
Na esperança recriada em cada vida jovem.
Mas eu Te peço, Senhor,
Que a Tua paz se revele a mim,
Não apenas no universo que me rodeia.

Eu a quero, Senhor,
Na intimidade da minha alma,
Ocupando-me o coração.
E que esta paz, Senhor,
Extravasando de mim,
Envolva todos os que me cercam,
Fazendo de nosso convívio,
Aqui e agora,
Uma antevisão do Teu reino.


Homenagem da Dep. Myrian Rios ao Prof Victor.