Presidente Cosenza expõe seus objetivos à frente do CREA RJ


Presidente eleito Luiz Cosenza toma posse no Crea-RJ.

O presidente eleito pelos profissionais para estar à frente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro no próximo triênio, o engenheiro eletricista e de segurança do trabalho Luiz Antônio Cosenza tomou posse nesta terça-feira (2/1/2018) na sede do Crea-RJ. A transmissão do cargo foi feita pelo presidente em exercício, engenheiro mecânico Paulo César Smith Metri, que desejou sucesso à nova administração.
Na sequência, Cosenza se reuniu com os colaboradores do Crea-RJ e, em um auditório lotado, apresentou um pouco das propostas de sua gestão. Sempre pregando a democracia e a troca de informações, Cosenza fez questão de ouvir as sugestões, elogios, críticas, solicitações, esperanças, pedidos, propostas, desejos e expectativas dos funcionários.
“Temos o compromisso de colocar nas atividades-fim do Crea-RJ os funcionários da casa. Vamos discutir a questão da promoção para fazermos o reenquadramento a fim de acabar com essa história de as pessoas dependerem de um cargo para poder ter salário. Vamos discutir sobre atendimento com os atendentes para saber o que está certo e o que está errado, saber se o atendimento agendado está funcionando, criar meios para que o profissional que precisar de um atendimento emergencial e for até uma inspetoria ou posto de atendimento não saia sem ser atendido”, prometeu Cosenza.
O presidente também demonstrou a sua intenção em investir na fiscalização e em descentralizar o Conselho. “Vamos levantar como está a questão dos fiscais, se o número é suficiente ou se está faltando profissional. Vamos fazer um grande levantamento, se inteirar dos trâmites dos processos, avaliar a real necessidade de se realizar um novo concurso público. Cada região tem características diferentes, então a ideia é fazer um seminário de fiscalização em cada local para saber como a gente irá fazer a fiscalização naquela região. A região serrana, por exemplo, tem como ponto forte a área de agronomia, já no noroeste tem o setor de pedreiras. E são fiscalizações diferentes, então a gente precisa fazer esses debates nas regiões, não aqui na sede. É isso que a gente tem que fazer para poder viabilizar o Crea. O Conselho precisa atuar em defesa do profissional, das empresas e da sociedade”, destacou.
Convidados para compor a mesa de debates, o presidente da Associação dos Servidores do Crea-RJ (Ascrea-RJ), Fernando Mendes Neto; o vice-presidente do Sindicato dos Servidores das Autarquias de Fiscalização Profissional do Rio de Janeiro (Sinsafispro-RJ), Adjarba Oliveira e a intersindical – representante da Ascrea-RJ junto ao Sindicato dos Engenheiros no Estado do Rio de Janeiro (Senge-RJ) -, engenheira agrônoma Cleude Pereira da Silva, também puderam expor as suas expectativas para a nova gestão.
O recém-empossado conselheiro federal da modalidade elétrica e ex-presidente do Crea-RJ, José Chacon de Assis, prestigiou o evento. Para Chacon é momento de inaugurar uma nova era no Crea-RJ. “É tempo de deixar os ranços no passado e fazer o Conselho estar, cada vez mais, a serviço da sociedade. Isso nós só conseguiremos se cumprirmos o grande objetivo do Crea que é garantir a qualidade e a segurança dos nossos serviços, produtos e profissionais”, definiu garantindo que estará, sempre que possível, à disposição no Crea-RJ.


Caros Associados para aqueles interessados a AEEFL fez convênio com a empresa em lide. Maiores detalhes com Da. Ana no telefone da Associação ou através de email.

 

Prezados Associados ,
Nossa Associação formalizou esta semana convênio com a empresa “VIDA EMERGÊNCIAS MÉDICAS“ , que possibilitará aos nossos associados contratarem para si e/ou seus dependentes, com desconto de 50% da tabela, um importante serviço que atua na área pré-hospitalar atendendo a emergências e urgências médicas, com atendimentos on-line 24 horas e UTI MÓVEIS equipadas com modernos aparelhos .
Não é plano de saúde.
Mas trata-se de um importante serviço de apoio para quem o plano de saúde não dispõe de UTI MÓVEL para casos de EMERGÊNCIA.
Não há a obrigatoriedade do interessado ter plano de saúde.
Não há restrições a doenças pré-existentes.
Não há limite de idade.
O preço por pessoa para nossos associados e/ou dependentes é de R$ 36,00 mensais . ( Em abril está previsto o reajuste anual pelos índices usuais )
Os serviços prestados pela VIDA EMERGÊNCIAS MÉDICAS atendem aos municípios do Rio de Janeiro , Niteroi, São Gonçalo e alguns outros municípios da Baixada Fluminense
OBS :
– O convênio firmado entre a AEEFL e a VIDA EMERGÊNCIAS MÉDICAS se reporta exclusivamente ao benefício do desconto .
– Obrigações contratuais de prestação de serviços , formas de pagamento ( boleto bancário / débito em conta ) , atendimentos , e/ou eventuais reclamações dos serviços, ocorrerão sem nenhuma participação da AEEFL.
– Os interessados deverão fazer contato diretamente com o Departamento Comercial da VIDA EMERGÊNCIAS MÉDICAS , informando ser associado da AEEFL , com o Sr.Helio Mendes cel.996850495 ou 34618866 ramal 2576 ou através do e-mail vendas@vidauti.com.br.
Download do Informativo

Classe ferroviária comemora pagamento da dívida da União Federal

Vitória foi celebrada em evento realizado no auditório da extinta RFFSA

Convidados pela diretoria da Fundação Rede Ferroviária de Seguridade Social (REFER), ferroviários, lideranças ferroviárias e parlamentares, finalmente, após um processo que perdurou por 17 anos, se reuniram para celebrar o acordo com a União Federal para pagamento da dívida referente ao plano de benefícios da extinta Rede Ferroviária Federal S/A. O encontro, realizado no dia 30 de novembro, lotou o auditório da extinta RFFSA, no Rio de Janeiro, reafirmando a união da classe.

A assinatura e homologação do contrato trouxe tranquilidade aos ferroviários que compõem o Plano da Rede Ferroviária Federal. O valor da dívida foi corrigido em 22 de novembro e transformado em títulos NTN-B.

Atualmente, a Fundação REFER conta com cerca de 35 mil participantes ativos e assistidos, honrando, mensalmente, uma folha de benefícios de, aproximadamente, R$ 36 milhões, o que totaliza, anualmente, o montante de R$ 470 milhões. Os 25 mil participantes aposentados/pensionistas da extinta RFFSA beneficiados pelos Planos de Previdência da REFER alcançam, através de seus familiares, mais de 100 mil vidas em todo o território nacional.

Dívida da CBTU em pauta
Antecedendo o início oficial do encontro, o presidente da Fundação REFER, o engenheiro Marco André Marques Ferreira, compartilhou com participantes que lotavam a plateia informações sobre a conquista da RFFSA e o andamento da dívida do Governo Federal com a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU).

“A RFFSA tinha uma dívida que não estava sendo paga desde 2000. A nossa preocupação se dava por conta dos recursos líquidos da Fundação para este plano, que conseguiríamos manter só até fevereiro de 2018. A vitória que estamos comemorando hoje só foi possível com a união dos ferroviários, das entidades de classe, Associação dos Engenheiros, Associação dos Aposentados e Sindicatos. Vamos continuar lutando para recebermos a dívida da CBTU também, que gira em torno de R$ 2,7 bilhões. Vamos continuar lutando! ”, destacou o engenheiro.

Emoção nos discursos

Junto com o presidente da REFER, compuseram a mesa solene do evento os seguintes convidados: Antônio Geraldo Alves Bosshard, diretor de Administração e Finanças da CBTU, representando o presidente José Marques de Lima; Hélio de Souza Regato de Andrade, presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores Ferroviários; Manoel Geraldo Costa, inventariante da RFFSA; Isabel Cristina Junqueira, presidente da Associação de Engenheiros Ferroviários; Raimundo Neves de Araújo, presidente da Associação Mútua Auxiliadora dos Empregados da Estrada de Ferro Leopoldina; Eduardo Lopes, Senador da República; Walton Alencar, Ministro do Tribunal de Contas da União; e os deputados federais Gorete Pereira, Simão Sessim e Paulo Feijó.

“Sempre fui ligado à ferrovia, porque vivi no subúrbio da Central, em Nilópolis. Eu nasci nessa região, me criei, casei, profissionalmente exerci meu magistério, fui eleito prefeito e hoje cumpro o 10º mandato consecutivo de Deputado Federal. Para mim, o ato de hoje não é um ato qualquer. Essa homenagem eu vou guardar no meu coração”, destacou Simão Sessim.
Já o deputado Paulo Feijó incitou os presentes a continuarem lutando pelos seus direitos: “Comecei na RFFSA há 40 anos, como estagiário, antes de ingressar na vida política. Considero a falta de representação política de ferroviários o principal fator que justifica o enfraquecimento do transporte ferroviário no Brasil. Quero parabenizar a classe política. Tem muito político que faz coisas boas, e um exemplo é o que nós estamos comemorando aqui. Aos ferroviários eu digo: a luta continua!”.

O senador Eduardo Lopes, mesmo tendo nascido em São Paulo, lembrou a importância da rede ferroviária para o desenvolvimento das cidades e lamentou a ausência dos aposentados que também lutaram pela atual conquista: “Sou de Santo André, no ABC Paulista, onde cresci perto de ferrovia Santos-Jundiaí. O trem faz parte da minha vida. Eu assumi a luta dos ferroviários e lamento que muitos aposentados não viveram para ver essa vitória, que foi alcançada com perseverança e luta”, disse.

A deputada federal Gorete Pereira citou as lutas que sempre travou com a classe ferroviária e declarou: “A luta dos ferroviários foi uma das maiores lutas que vi em Brasília. Esta classe está no meu coração. Eu a respeito e a admiro”.

Finalizando as declarações das lideranças, Walton Alencar apontou: “Durante o processo no TCU houve uma tentativa de mesclagem do caso da REFER com outras hipóteses que, se fossem levadas em consideração, não teríamos muito o que comemorar aqui, hoje. Foi uma vitória estrondosa de todos que participaram do processo e que muito bem conduziram a questão”.
Hélio Regato, Marcos Cruz, Celso Paulo, Clarice Soraggi, Raimundo Neves de Araújo e Isabel Cristina Junqueira também fizeram declarações públicas sobre a importância da conquista dos ferroviários, enaltecendo a união de todos os presentes.

Homenagens
Em comemoração aos 25 anos da Associação de Engenheiros Ferroviários (Aenfer), a presidente da entidade, Isabel Junqueira, entregou a medalha comemorativa aos deputados federais Gorete Pereira, Simão Sessim e Paulo Feijó; ao presidente da Fundação REFER, Marco André Marques Ferreira; e ao Ministro do TCU, Walton Alencar, que também recebeu a homenagem em nome do Secretário Especial do Programa de Parcerias de Investimentos da Casa Civil, Adalberto Santos de Vasconcelos.

A Fundação REFER, através do seu presidente, Marco André Marques Ferreira, concedeu o título AMIGO DO FERROVIÁRIO aos deputados federais Gorete Pereira, Simão Sessim, Vicente Cândido e Paulo Feijó; ao Ministro do TCU, Walton Alencar, que também recebeu a homenagem em nome do Secretário Especial do Programa de Parcerias de Investimentos da Casa Civil, Adalberto Santos de Vasconcelos.

Na sequência, Isabel Junqueira entregou comenda Paulo de Frontin a medalha comemorativa dos 25 anos ao senador Eduardo Lopes, por seus relevantes serviços prestados à ferrovia e aos ferroviários. Em maio deste ano, o senador também recebeu o título AMIGO DO FERROVIÁRIO.

Seguindo com as homenagens, o presidente da REFER, Marco André Marques Ferreira, entregou o Certificado de MÉRITO PREVIDENCIÁRIO à advogada da Fundação, Lúcia de Fátima Rangel de Moraes e ao presidente da Associação Nacional dos Participantes de Fundos de Pensão, Antônio Bráulio de Carvalho, pelos relevantes serviços prestados em prol dos participantes da REFER e, em nome da Fundação e de toda a classe, finalizou a celebração agradecendo aos parlamentares que atuaram significativamente para que houvesse o recebimento da dívida e a todos que contribuíram para o êxito dessa tão esperada conquista.


Almoço de Confraternização Natalina

Prezados amigos (as) associados (as), familiares e entidades da Classe Ferroviária.
 
A Diretoria da Associação dos Engenheiros da Estrada de Ferro Leopoldina está marcando para o dia 05 de dezembro de 2017 (amanhã terça-feira), a partir das 12 horas um almoço por adesão no Sindicato do Chopp, localizado na Rua Afonso Pena, 43, Tijuca, Rio de Janeiro, localizado próximo à Estação Afonso Pena do METRÔ, um Almoço de Confraternização Natalina. O local já é de conhecimento de vários participantes, tem uma ótima alimentação que atende a vários gostos. 
Gostaríamos muito da presença de todos que têm participado de nossos eventos para que a união do grupo permita um ano de 2018 com mais felicidades, além dessa que foi conseguida este ano com o pagamento da dívida de 17 anos do Governo Federal para com a REFER, nossa entidade de complementação salarial, permitindo com isso, por mais anos, o recebimento dessa remuneração para os aposentados. Lembramos que contribuímos mensalmente por longos anos, para ter esse benefício.

Atenciosamente,
Conselho Diretor